Um cheque mate na Boeing: A Força Aérea de Israel cria um ‘frankenstein’ a partir de dois caças F-15.


Os engenheiros israelenses na Boeing perguntaram se a sua ideia de montar uma aeronave usando dois caças diferentes era viável e a empresa nem sequer respondeu por acreditar que era uma piada.

Força Aérea de Israel deu à luz a um autêntico ‘frankenstein’ a partir da parte frontal de um caça F-15B de dois lugares e a parte traseira de um caça de F-15 de um piloto. A primeira aeronave caiu ao colidir com um pássaro quando tinha 35 anos. A segunda aeronave permaneceu mais de 20 anos fora de serviço por ter sido obsoleta.

O fabricante do caça F-15B, a Boeing, considerou a aeronave inutilizável após a queda de 2011. Não foi, no entanto, a opinião de engenheiros do Armazém 22 da Força Aérea israelense, liderado por Maxim Orgad. Estes especialistas vieram a combinar dois lutadores diferentes. E participaram a idéia com a Boeing para perguntar se era possível.

Boeing é um dos principais empreiteiros do exército israelense e coopera de boa vontade com isso. Mas, neste caso, nunca respondeu aos engenheiros. Depois de esperar várias semanas, os engenheiros israelenses chamaram o fabricante de novo, e finalmente receberam uma resposta. Boeing aparentemente nunca os contestou porque achou que era uma “piada”, conforme explicado pelas fontes da empresa ao portal Orgad Defense News.

Uma fábrica de ‘ressurreições’.

6 anos atrás, um caça israelense F-15B colidiu com um bando de pelicanos e um de seus motores pegou fogo. O piloto e navegador conseguiram pousar, mas o fogo destruiu sem possibilidade de reparo toda sua parte traseira sem afetar a frente. Os próximos três anos, os engenheiros pensaram o que fazer com os restos do caça que caiu e, finalmente, lhes ocorreu juntar o resto do avião a um outro que estava fora de serviço por muitos anos.

O projeto ‘monstruoso’ custou um milhão de dólares, enquanto ganhando um avião semelhante teria significado um investimento de mais de 40 milhões, estima Defense News Orgad.

É uma poupança óbvia, que é uma prática bastante comum na Força Aérea israelense. Nos últimos 16 anos, o Armazém 22 havia ‘ressuscitado’ 6 ou 7 aviões de caça, incluindo 3 que foram considerados irreparáveis ​​pelos seus produtores norte-americanos, informa o portal.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: RT.com

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-5eE

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA