Existe o risco de a Rússia e o Irã estarem a debater sobre o futuro da Síria?


À medida que a crise síria se aproxima do estágio do assentamento político, surgiram diferenças graves entre os aliados. Em particular, a Rússia e o Irã parecem ter visões diferentes do futuro do assentamento sírio.

A situação na Síria está em rápida mudança, com um cessar-fogo em expansão e novas zonas de escalação negociadas pela Rússia, Estados Unidos e Jordânia. Aparentemente, a crise síria está lentamente, mas continua em direção à fase de assentamento político. A este respeito, diferentes partes envolvidas na crise provavelmente terão diferentes visões de seus papéis na situação e no futuro do país árabe devastado pela guerra.

Segundo Vladimir Sazhin, pesquisador sênior do Instituto de Estudos Orientais da Academia Russa de Ciências, essa diferença já surgiu entre os aliados próximos da Rússia e do Irã.

    “Enquanto anteriormente a Rússia e o Irã cooperaram estreitamente em apoio ao governo legítimo sírio, agora há uma diferença visível nas visões de Moscow e Teerã sobre o futuro da Síria e o papel de cada país. A Rússia e o Irã compartilham objetivos táticos, mas não é lá nada comum quando se trata do olhar estratégico”, disse Sazhin em entrevista ao Sputnik persa.

O especialista ainda esclareceu sobre o que é essa diferença. A Rússia quer que a Síria seja um estado secular em que as minorias e os grupos religiosos tenham direitos iguais.

Por sua vez, Teerã quer estabelecer um governo em Damasco que ofereça ao Irã o poder de voto na política síria, inclusive na expansão da influência de Teerã na região ao longo do arco xiita Irã-Iraque-Síria-Líbano. O Irã quer manter um corredor de logística que garanta apoio militar e financeiro para as forças pro-iranianas, em primeiro lugar o Hezbollah, na região.

Sazhin ressaltou que, apesar de o papel do Hezbollah na Síria estar diminuindo, o grupo militar continua a ser a principal ferramenta para expandir a influência xiita liderada pelo Irã na região.

Desde junho de 2016, o Hezbollah vem sendo cada vez mais contra os acordos de cessar-fogo na Síria, incluindo vários confrontos abertos com o exército sírio durante a libertação de Aleppo. Moscow tem proposto repetidamente a integração de vários grupos armados xiitas no exército sírio sob comando unido, mas cada vez a oferta foi rejeitada.

    “É claro que Teerã não queria perder influência sobre Damasco. Além disso, o Irã quer preservar um instrumento tão poderoso para controlar as áreas da Síria que considera crucial para seus interesses”, disse o especialista.

Israel, o principal rival do Irã no Oriente Médio, considera as atividades de Teerã na Síria como uma ameaça direta à sua segurança. Israel insiste que o objetivo real do Irã na Síria não está lutando contra terroristas e militantes, mas sim assumir o controle sobre os territórios sírios para aumentar sua presença no Oriente Médio.

De acordo com o analista político Anton Mardasov, as preocupações de Israel com as forças pró-iranianas na Síria são razoáveis.

    “Teerã continua a expandir sua presença militar na Síria. Além disso, o Irã promove idéias xiitas em áreas dominadas por sunitas, o que aumenta o risco de confrontação étnica e religiosa. A longo prazo, o Irã pode estabelecer um corredor xiita na região. É potencialmente perigoso e seria um fator desestabilizador que ameaçaria minar o assentamento político na Síria”, disse Mardasov ao Sputnik persa.

Como os interesses da Rússia na Síria são multidimensionais, Moscow consegue manter relações normais com todas as partes envolvidas, inclusive com os principais rivais do Irã, a Arábia Saudita e Israel.

A avaliação de Moscow sobre a política de Teerã na Síria é ambígua. Aparentemente, a Rússia não está feliz com a tentativa do Irã de impor sua vontade em Damasco e estabelecer uma base política e ideológica para uma maior expansão da influência xiita na região.

Essa política é desestabilizadora e é provável que desencadeie conflitos em duas direções, entre o Irã e Israel e entre o Irã e os países árabes. Tal cenário não serviria aos interesses da Rússia na região. Muitos especialistas e comentaristas acreditam que essa questão é a razão da rivalidade emergente russo-iraniana na Síria.

Mais informação sobre o conflito na Síria.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Sputnik News.com

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-5wf

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA