“Superpotência perdedora”: os senadores russos afirmam que a campanha dos EUA no Afeganistão acabou em fracasso.


Foto: Finbarr O’Reilly / Reuters

Membros da câmara alta russa afirmaram que a campanha militar de 16 anos no Afeganistão acabou em fracasso e reiterou um apelo para que Washington retirasse suas tropas desse país.

“George Bush Junior começou a guerra, Barack Obama prometeu acabar com ela, mas nunca o fez. Como resultado, o presidente Donald Trump foi deixado com um desastre nas mãos. “Superpotência perdedora”, disse o senador Aleksey Pushkov.

Pushkov divulgou este comentário logo que o Talibã divulgou uma carta aberta a Trump em que afirmou que a operação militar no Afeganistão foi em vão, apesar dos enormes custos, tanto em termos de baixas humanas quanto de perdas materiais. A carta então pediu a Trump que tomasse uma decisão que sempre o visse lembrou como um defensor da paz.

A porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert, confirmou o recebimento da carta aberta do Talibã e disse que Washington estava considerando várias opções na medida do possível, a remoção de tropas do Afeganistão é preocupante.

No início desta semana, o enviado especial do presidente russo no Afeganistão, Zamir Kabulov, disse em entrevista à imprensa que a campanha dos EUA no Afeganistão falhou e Washington precisa retirar as tropas. Ele acrescentou que Moscou se opõe firmemente ao plano de substituir as forças militares regulares dos EUA no Afeganistão por empreiteiros militares.

O vice-chefe do Comitê para Assuntos Internacionais da Alta Câmara Russa, Andrey Klimov, disse a jornalistas que a declaração de Kabulov era um sinal de que Moscou pretendia usar a alavancagem política e diplomática para evitar a disseminação da presença militar dos EUA.

“Uma intervenção militar liderada pelos EUA tem ocorrido há 16 anos, bem perto das fronteiras da CEI. E considerando o fato de que as fronteiras dentro da CEI são transparentes, isso significa que isso está acontecendo bem perto de nossas fronteiras”, disse Klimov em comentários com Vzglyad na internet diariamente. A CEI é a Comunidade de Estados Independentes – um bloco político e econômico liderado pela Rússia das ex-repúblicas soviéticas.

“Nos últimos anos, isso não tem semelhança com uma operação antiterrorista e parece mais uma política colonial, uma tentativa de manter o contingente militar dos EUA a qualquer custo”, acrescentou.

O senador também observou que anteriormente a Rússia aprovou a operação militar conduzida pelos EUA e seus aliados da OTAN no Afeganistão, e até mesmo prestou assistência a esta operação, mas essa posição foi reconsiderada devido à deterioração das relações Rússia-EUA e também porque a operação no Afeganistão não conseguiu produzir resultados positivos.

“Há algum tempo ficou claro que a operação antiterrorista conduzida pelos EUA e a OTAN no Afeganistão é ineficaz, mas no decorrer desta operação o fluxo de drogas ilegais para a Rússia aumentou muito, de acordo com algumas estimativas até mesmo 100 vezes”, disse ele.

“Tudo isso exige uma reação e as primeiras afirmações feitas sobre o assunto revelam que a Rússia pretende usar meios políticos e diplomáticos para evitar esta expansão cinza da presença militar dos EUA no Afeganistão”, concluiu o senador.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: RT.com

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-5Je

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA