A Coréia do Sul ensaia o uso de mísseis destruidores de bunker que podem chegar à Coréia do Norte inteira.



Um míssil ar-superfície de longo alcance Taurus, disparado de um caça F-15K força aérea da Coréia do Sul momentos antes de atingir seu alvo em 12 de setembro de 2017. © Handout / Ministério da Defesa da Coréia do Sul / AFP

A Força Aérea da Coréia do Sul realizou um teste militar ao vivo para o míssil Taurus de longo alcance, de acordo com a mídia citando as forças armadas de Seul. Os mísseis ar-a-superfície de 500 km de alcance podem atingir alvos precisos em Pyongyang e em toda a Coréia do Norte.

O exercício foi realizado no ar sobre o condado de Taean, província de Chungcheong do sul, no oeste do país, na terça-feira, informou a agência de notícias Yonhap, citando os militares do país.

O avião de combate multi-propósito F-15K disparou o míssil Taurus KEPD 350, que voou cerca de 400 km e atingiu diretamente o alvo nas águas fora da cidade de Gunsan, na vizinha Província de Jeolla do Norte.

Ver mapa.

O mísseis Taurus tem uma faixa de 500 km e uma ogiva de 481 kg pode atacar alvos em Pyongyang, “mesmo que seja disparado desde a parte central da Coréia do Sul”. O alcance do míssil pode ser expandido para toda a Coréia do Norte se lançado perto de Seul.

Os mísseis são fabricados pela TAURUS Systems GmbH, uma joint venture entre a MBDA Deutschland GmbH e a subsidiária sul-coreana da empresa sueca Saab Dynamics AB.

Saab diz que um mísseis Taurus, “projetados para penetrar defesas de ar densas”, pode neutralizar “alvos estacionários e semi-estacionários de alto valor através do seu sistema de guerra revolucionário altamente eficiente, de 481 kg, com o sistema anti-guerra MEPHISTO”.

Taurus é o “único míssil de reserva capaz de ser programado para efeito em um pavimento pré-selecionado específico”, diz a descrição do míssil.

A aeronave Tornado IDS da Força Aérea Alemã e as aeronaves EF-18 da Força Aérea da Espanha atualmente empregam mísseis Taurus KEPD 350.

Mais cedo em setembro, Seul anunciou o teste envolvendo Taurus como uma resposta à ameaça norte-coreana.

Um porta-aviões de energia nuclear, bombardeiros estratégicos e “outros recursos poderosos” poderiam ser implantados na Península da Coréia como uma resposta ao último teste nuclear da Coréia do Norte, disse o ministério naquele momento, acrescentando que detectou “indicações” de que Pyongyang está preparando um lançamento de mísseis balísticos.

O ministério também disse que estava planejando a construção de instalações adicionais no local de lançamento existente da Terminal High Altitude Area Defense (THAAD), um sistema de defesa antimíssil antibalístico dos EUA, que tem como objetivo derrubar mísseis balísticos de curto e médio alcance.

Em 2016, relatórios da mídia sul-coreana surgiram alegando que Seul planejava implantar cerca de 170 mísseis Taurus e decidiu importar cerca de 90 mais.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: RT.com

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-5RU

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA