Sim, a mídia corporativa é realmente o “Inimigo do Povo”, conservadores concluem.



Uma das coisas que os liberais gostam de atacar Donald Trump é quando o presidente declarou que a grande mídia é o inimigo do povo. Há poucos dias, no PEN America World Voices Festival, por exemplo, a candidata democrata à Presidência, Hillary Clinton, condenou Trump por fazer tal afirmação, argumentando que agora estamos “vivendo uma guerra total contra a verdade, os fatos e a razão”. Mas, apesar dos ataques da esquerda, o presidente Trump tem razão? A mídia é realmente o inimigo do povo?

De acordo com uma recente pesquisa da Universidade Quinnipiac, menos de 25% dos americanos acreditam que os meios de comunicação são melhores descritos como como “inimigo do povo” do que uma “parte importante da democracia”, mas entre os republicanos, mais da metade escolhe a mídia como inimiga do povo. Isso significa que a maioria dos republicanos acha mais preciso descrever a mídia falsa como um “inimigo do povo” do que uma “parte importante da democracia”.

De fato, a mídia hoje não está do lado do povo americano; está trabalhando contra eles e em mais de uma maneira. Não foi sempre assim, no entanto. Na verdade, a razão pela qual os Pais Fundadores decidiram incluir a “liberdade de imprensa” na Declaração de Direitos é porque a imprensa pretendia ser uma verificação do governo. A mídia – que consistia principalmente de jornais e revistas na época – era a fonte da verdade dos povos e, por fim, os mantinha informados sobre o que seus representantes eleitos estavam fazendo. Uma vez armados com essa informação, as pessoas poderiam decidir quais representantes eles queriam manter e quais queriam votar.

Leia também: Chomsky expõe Russiagate como Propaganda: “É uma piada” e “O mundo está rindo de nós”.

Mas muita coisa mudou desde então, e isso inclui o papel que a grande mídia desempenha em nossas vidas cotidianas. Não é mais uma fonte de informações verdadeiras e precisas sobre as operações de nossos líderes eleitos; ao contrário, é uma máquina de propaganda unilateral que funciona dia e noite para promover a agenda liberal. De fato, a mídia está tão comprometida com o Partido Democrata hoje que mesmo aqueles que se descrevem como jornalistas e comentaristas políticos independentes não pensam em mentir para essencialmente fazer lavagem cerebral nas pessoas para cegamente apoiar a ideologia progressista.

Um exemplo perfeito disso é o falso escândalo da Rússia – isto é, a narrativa liberal que Donald Trump conspirou com Vladimir Putin e seu regime durante a campanha presidencial de 2016. Apesar do fato de que não houve qualquer evidência sugerindo que tal conluio tenha ocorrido, os liberais dentro da grande mídia estão constantemente falando sobre isso com a intenção de derrubar o presidente e sua administração.

Em março deste ano, o Media Research Center concluiu que os noticiários noturnos da ABC, da CBS e da NBC nos meses de janeiro e fevereiro continham dez vezes mais comentários negativos sobre o presidente Trump do que declarações positivas. Além disso, dos 851 minutos no ar dedicados à administração de Trump, essas três redes passaram quase 25% do tempo (ou 204 minutos) conversando sobre a investigação na Rússia. Isso é bastante cobertura reservada para uma história baseada em nada além de mentiras, você não acha?

Dito tudo isto, a pergunta que deve ser feita é a seguinte: como podem os meios de comunicação convencionais (a grande mídia) ser qualquer coisa menos um inimigo do povo se está constantemente – e intencionalmente – a mentir para o povo americano?


Autor: Jayson Veley

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Natural News.com

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-6Bw

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA