Marinha russa realizará grandes exercícios militares perto da Síria.


A Marinha russa realizará exercícios no Mar Mediterrâneo, perto da Síria, no período de 1 de setembro a 8 de setembro, anunciou o Ministério da Defesa da Rússia em 30 de agosto. Os exercícios envolverão 25 navios de guerra liderados pelo cruzador de mísseis Marechal Ustinov e 30 aeronaves, incluindo os bombardeiros guiados por mísseis Tu-160, os aviões de combate anti-submarino Tu-142MK e Il-38, os caças Su-33 e as aeronaves Su-30SM da aviação naval. O ministério da defesa disse que “o grupo vai praticar um conjunto de tarefas de defesa aérea, anti-submarino e anti-sabotagem e também apoiar as contramedidas de minas”.

De acordo com especialistas sírios, esses exercícios são uma resposta à crescente ameaça de uma nova rodada de ataques com mísseis americanos contra instalações do governo na Síria.

Vídeo: https://southfront.org/wp-content/uploads/video/IMR_31_08_18.mp4

Em 30 de agosto, o Ministério de Relações Exteriores da Rússia anunciou que os EUA têm atualmente 70 veículos de entrega com cerca de 380 mísseis de cruzeiro no Oriente Médio e são capazes de preparar um grupo de ataque de mísseis para um ataque contra a Síria em apenas 24 horas.

Os EUA rejeitam todos os relatos de que estão se preparando para um ataque à Síria, mas dizem que estão prontos para agir se o governo de Assad usar “armas químicas”.

Enquanto isso, o ministro das Relações Exteriores sírio e vice-primeiro-ministro Walid Muallem afirmou que os Capacetes Brancos haviam seqüestrado 44 crianças em Idlib para usar em um ataque de armas químicas encenado na parte da província controlada por militantes. O ministro também enfatizou que os militares sírios não possuem armas químicas e não há necessidade de o exército sírio usar qualquer tipo de arma para derrotar os terroristas no país.

Na área de al-Safa no sul da Síria, o exército sírio capturou posições entre a colina de Abu Ghanim e a área de Umm Marzakh, dividindo assim o bolsão do ISIS em duas partes. Os confrontos estão em andamento.

Aviões de guerra da coalizão liderada pelos EUA realizaram ataques aéreos em várias posições do ISIS na margem oriental do rio Eufrates, incluindo a área do campo de petróleo de al-Azraq. Estes ataques aéreos são provavelmente uma resposta dos EUA à recente série de ataques do ISIS às Forças Democráticas da Síria apoiadas pelos EUA.

No entanto, enquanto o buraco de Hajin, segurado pelo ISIS, na margem oriental do Eufrates não é limpo, esses ataques dificilmente podem ser interrompidos em breve. A questão chave é por que a coalizão liderada pelos EUA e a SDF não estão se apressando para lidar com os terroristas do ISIS?

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Global Research.ca

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-78Y

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA