Maior exercício militar do planeta: Jogos maciços de guerra entre russos e chineses terão exercícios nucleares.


Ao longo do último semestre, o Ocidente tem notado cada vez mais o ritmo significativamente elevado dos gastos militares chineses e russos e surpreendentes avanços em termos de avançada tecnologia de defesa.

Mesmo quando os sistemas chineses ou russos falham, segundo as notícias recentes de um míssil de cruzeiro movido a energia nuclear anunciado por Putin como tendo “alcance ilimitado”, mas agora aparentemente perdido no fundo do mar, a imprensa ocidental toma conhecimento e vários funcionários do Pentágono também alertaram especialmente para o rápido avanço dos sistemas chineses.

Cada vez mais, as duas potências estão cooperando mais diretamente, como acontece com os próximos jogos militares da Rússia, considerado o maior exercício desse tipo desde a União Soviética, onde a China deve participar enviando uma contingência massiva de tropas de elite.

De acordo com o South China Morning Post (SCMP), o Exército de Libertação do Povo (PLA) participará, enviando cerca de 3.200 soldados das forças de elite, além de 30 helicópteros e aeronaves de asa fixa para os exercícios hospedados na Rússia.

Os maiores jogos militares da Rússia em 35 anos, chamados de exercícios Vostok 2018, devem começar na faixa de treinamento Tsugol na região russa de Trans-Baikal no Extremo Oriente, no dia 11 de setembro, e devem acontecer até o dia 15.

Crucialmente, um elemento importante para os jogos que certamente atrairão a atenção dos planejadores militares de Washington é a inclusão de ataques com armas nucleares simuladas. Os dois países estão entre as principais potências nucleares de longa data do mundo, e ambos estão em meio às crescentes tensões com os Estados Unidos – a Rússia é alvo de sanções e acusações amplas de interferência eleitoral, e a China em uma guerra comercial que não vê nenhum sinal de diminuir.

Rússia e China se unem contra expansão ‘defensiva’ dos EUA.

O SCMP cita um especialista militar de Pequim, Zhou Chenming, para explicar que o Exército chinês (ELP) está buscando ganhar uma maior experiência militar, já que seu último grande teatro de combate se estende até a Guerra do Vietnã.

Além disso, Zhou disse ao SCMP: “A China também quer mostrar seu apoio ao presidente russo Vladimir Putin, que enfrenta vários desafios diplomáticos, especialmente as críticas do secretário de Estado dos EUA [Mike Pompeo] sobre a anexação da Criméia por Moscow.

O especialista citou ainda que a localização do lugar dos jogos foi escolhida com cuidado e deliberadamente com isso em mente.

“Putin quer usar os jogos de guerra dos militares russos com o EPL para mostrar seu poderio militar, mas ele não quer irritar muito os Estados Unidos e levantar a possibilidade de um erro de julgamento pelo governo Trump, então ele escolheu a região menos sensível de Trans-Baikal, no Extremo Oriente, longe dos aliados dos EUA na Europa”, disse Zhou.

Em resposta aos iminentes jogos Vostok-18, Eric Pahon, porta-voz do Pentágono, disse: “Pedimos à Rússia que tome medidas para compartilhar informações sobre seus exercícios e operações na Europa para transmitir claramente suas intenções e minimizar potenciais mal-entendidos”.

A autoridade de defesa dos EUA indicou que os jogos serão monitorados de perto pelas agências de inteligência dos EUA, devido à disposição da Rússia em simular o combate nuclear. “É a mensagem estratégica deles”, disse o funcionário do Pentágono sobre a Rússia e a China.

Mapa da aliança militar da Rússia e da China a partir de 2016. Clique na imagem para ampliar [res. 4973 × 2517]

Há também relatos de que ambos os países estão experimentando o desenvolvimento de armas nucleares táticas menores, que são motivo de preocupação para a preparação da defesa dos EUA.

No início da semana, o ministro da Defesa da Rússia, Sergey Shoygu, anunciou que os exercícios seriam os maiores desde que a União Soviética realizou suas manobras Zapad-81, que incluíram centenas de milhares de tropas soviéticas e equipes de logística.

“Este é o maior evento de treinamento das forças armadas desde as manobras do Zapad-81, adquiriu o status de um exercício internacional e é de escala sem precedentes tanto em termos de alcance espacial quanto de força das entidades de comando e controle militar, tropas, e forças envolvidas”, disse Shoygu, ao mesmo tempo em que anunciava a participação do ELP chinês, além de unidades auxiliares das forças armadas da Mongólia.


Autor: Tyler Durden

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Zero Hedge

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-6zg

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA