Vídeo: Israel ataca a Síria. O sistema de defesa aérea S-300 da Rússia não foi usado contra aviões de guerra israelenses.


No final de 25 de dezembro, a Força Aérea de Israel realizou um ataque com mísseis contra alvos na área do Aeroporto Internacional de Damasco. Segundo relatos, os jatos israelenses F-16I lançaram pelo menos 16 mísseis do espaço aéreo libanês.

A mídia síria salientou que as Forças de Defesa Aérea (SADF) haviam interceptado a maioria dos mísseis hostis, mas reconheceu que pelo menos 3 militares sírios ficaram feridos no incidente. A SADF também disparou vários mísseis contra jatos israelenses envolvidos no ataque. As Forças de Defesa de Israel (IDF) confirmaram que empregaram seus próprios sistemas de defesa aérea para proteger os jatos.

O lado sírio não usou o sistema de defesa aérea S-300, entregue pela Rússia para repelir o ataque aéreo. O pessoal sírio ainda não concluiu o treinamento necessário. Segundo os especialistas, o sistema sírio S-300 será posto em combate na segunda quinzena de janeiro ou no início de fevereiro de 2019.

Vídeo: Rússia reforça suas capacidades militares na Síria, Defesa Aérea S-300 e Guerra Eletrônica

O recente ataque israelense aconteceu um dia depois de o Ministério da Defesa da Rússia ter anunciado que 150 militares de uma das regiões dos regimentos de mísseis aéreos do Distrito Militar Central da Rússia haviam retornado da Síria.

Em 25 de dezembro, soldados do Exército Sírio, apoiados por soldados russos, entraram na aldeia de Arima, a oeste da cidade de Manbij, um reduto das chamadas Forças Democráticas da Síria (SDF). Anteriormente, Arima era controlado pelo SDF. No entanto, seu status atual não é claro. Fontes pró-SDF afirmam que a aldeia será controlada em conjunto pelo SDF e o exército sírio. Fontes pró-governo afirmam que a vila foi entregue ao governo.

Fontes locais afirmam que este movimento é o primeiro estágio da implementação de um acordo mais amplo, que pode ser alcançado entre o governo de Damasco, a Rússia e o SDF dominado pelos curdos.

Desde a decisão dos EUA de retirar suas tropas da Síria e a retomada das ameaças turcas de lançar uma nova operação militar contra grupos armados curdos no norte da Síria, a SDF tem procurado desesperadamente um novo protetor que o proteja de Ancara. O governo de Damasco e a Rússia são uma das opções consideradas pela liderança curda. Outra opção é esperar que o restante do pessoal dos EUA e as tropas francesas possam impedir uma ofensiva turca ao longo de toda a linha de contato entre o SDF e os militares turcos.

Enquanto isso, Ancara continuou seu fortalecimento militar nas regiões turcas que fazem fronteira com o norte da Síria. Recentemente, um lote de tanques de batalha Leopard 2A4 foi supostamente enviado para a área.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: South Front

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-7wX

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA