Os vermes do estado profundo se voltam contra seus manipuladores; O colapso da falsa narrativa sobre a Rússia.


E agora vem Andy McCabe, ex-número dois do FBI, divulgando seu novo livro, A Ameaça: Como o FBI Protege a América na Era do Terror e Trump, no programa de 60 Minutos da CBS de domingo, confirmando o que eu disse sobre este blog há dois anos – que o Estado Profundo tentaria atropelar o Golem Dourado da Grandeza com a 25ª Emenda.

Estamos atrás.

O espectro de Trump, arrastado pelo “futebol” nuclear – a pasta com códigos de lançamento para a Terceira Guerra Mundial – deu aos comungados americanos da Intel um caso de desespero que eles procuraram desesperadamente impedir sua eleição por meios ilegais e, fracassando nisso, inventaram uma névoa de conluio de conspiração russa para encobrir tudo aquilo e muito mais maldade que emana da órbita de Hillary Clinton.

A opinião aqui na CFN é de que McCabe e uma longa lista de funcionários do DOJ/FBI e da Intel acabariam sendo convocados para grandes júris sob a acusação de mentir para seus colegas do Departamento de Assuntos Internos até a sedição. Esses vermes agora parecem estar se transformando. Tanto os comitês da Câmara quanto do Senado que investigavam a narrativa da Rússia declararam que não haviam provas disso. E no final desta semana, William Barr foi confirmado como um novo procurador-geral, o que significa que o caso extremo de constipação burocrática naquele departamento pode estar se resolvendo em uma tempestade de contra-revelações e processos no que equivalia a uma tentativa de golpe de Estado. Muitas das evidências disso já são públicas e esmagadoras. Inclui:

  • Usando os ativos de contra-inteligência do FBI de forma imprópria e ilegal.
  • Usando “pesquisa de oposição” fabricada fornecida por Clinton para obter mandados para espionar seu oponente eleitoral, e não verificá-lo como prova (de acordo com procedimentos rigorosos de “Woods”) submetidos a juízes de tribunal da FISA.
  • Recrutando o MI6 da Grã-Bretanha para espionar os cidadãos dos EUA como uma solução para as leis dos EUA que proíbem a Intel dos EUA de espionar os norte-americanos.
  • Montando a notória reunião da Trump Tower para prender Donald Trump Jr., usando uma advogada russa, Natalia Veselnitskaya, no emprego da Fusion GPS, a Sra. Clintons contrariando a consultoria.
  • Orquestrando vazamentos de procedimentos secretos do FBI para a mídia de notícias para alimentar uma histeria de conluio na Rússia.
  • Processos maliciosos por parte do Conselho Especial Robert Mueller e notórios conflitos políticos de interesse entre a equipe de promotores de Mueller.
  • Encobrimento do Urânio, um esquema facilitado por Robert Mueller e pelo Procurador Geral Adjunto Rod Rosenstein.
  • Um esquema para conversas clandestinas e ilegais com Trump quando ele se tornasse presidente.
  • Conspirar para enterrar várias investigações sobre conduta ilegal de Clinton, seus funcionários e associados, ao não obter provas e permitir que sejam destruídas.
  • Má conduta no cargo pelo ex-diretor da CIA John Brennan, pelo ex-diretor de segurança nacional James Clapper, pela ex-AG Loretta Lynch e por membros do círculo interno da Casa Branca do presidente Obama.

Essas questões e muito mais mereceram atenção oficial que foi ignorada durante o peculiar regime DOJ do ex-AG Jeff Sessions – e agora alguma luz pode estar prestes a brilhar sobre eles. A “resistência” Trump já parece desmoralizada pelo colapso da história de conluio da Rússia, que havia sido a peça central de suas esperanças de impeachment. Vários comitês de casa reconstituídos sob as novas cadeiras do Partido Democrata, prometeram continuar a mineração que o ouro de tolo para manter a histeria viva o tempo suficiente para as eleições de 2020. Mas o que acontecerá enquanto os seus facilitadores forem arrastados para os tribunais para responder por sua trapaça? Meu palpite é que isso levará a “resistência” a novas profundezas da ilusão e, eventualmente, a escárnio, à medida que seu manto narrativo é fragmentado no testemunho público e sua ousada falsidade é revelada. O calor desses eventos futuros pode ser tão intenso e perturbador que interferirá na eleição de 2020.


Noata: Golem – (na lenda judaica) uma figura de argila trazida à vida por magia.

Autor: James Howard Kunstler

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: https://russia-insider.com/en/deep-state-worms-turn-against-their-handlers-russiahoax-narrative-collapsing/ri26292

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-7S1

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA