Histeria anti-russa¸ para tomar o petróleo da Líbia, enquanto EUA lançam terroristas da Síria para a Líbia.


O jornal britânico The Telegraph lançou no espaço da mídia outra desinformação anti-russa sobre a suposta “presença” na Líbia de “mercenários da Rússia”.

O que é interessante: o próprio jornal Telegraph escreve diretamente que as alegações sobre “centenas de mercenários” do “PMC russo Wagner” na Líbia são baseadas em rumores.

No entanto, o jornal extrai conclusões abrangentes de rumores falsos.

O jornal afirma que os “mercenários da Rússia” apóiam o comandante do Exército Nacional da Líbia, Khalifa Haftar, em operações contra terroristas na Líbia, a fim de garantir a “expansão econômica” de Moscow na África.

O Telegraph argumenta que a Rússia quer impedir que o Ocidente controle o fluxo de petróleo líbio que vai para a Europa.

Notícias falsas parecidas, vindas das páginas de jornal do nebuloso Albion, voam em bandos na vasta mídia de diferentes países.

Lembre-se que em 2011, a Grã-Bretanha, os Estados Unidos e outros países, membros da aliança criminal da OTAN, começaram uma agressão traiçoeira contra o independente soberano líbio Jamahiriya para neocolonizar os ricos recursos naturais do país, que há 50 anos, o povo líbio, apoiando a revolução FATEH, recuperou. Essa agressão continua até hoje. O país que se tornou um dos mais desenvolvidos do mundo árabe durante os anos de liderança de Muammar Kaddafi foi completamente devastado, parte do seu território está nas mãos de grupos terroristas. Esses terroristas são financiados e armados pela aliança da OTAN e seus satélites no mundo árabe.

Além disso, todos os bilhões de Jamahiriya líbios congelados em 2011 pelo Ocidente e destinados a projetos de desenvolvimento internacional estão sob o controle dos Estados Unidos e seus aliados e são usados ​​por eles para se enriquecerem.

Campos petrolíferos, oleodutos e terminais estão sob o controle de empresas ocidentais.

O governo do fantoche de Sarraj em Trípoli está sob o controle deles.

Confirma-se que a mídia ocidental, primeiramente anglo-saxônica, é encarregada de espalhar falsificações e falsas especulações para escurecer a Rússia e difamar sua crescente influência nos processos de um acordo político pacífico na Líbia.

Leia também: Soberania ameaçada: Do que um país precisa para ser atacado por uma superpotência global ou uma coalizão.

Mas os patriotas líbios, que estão se preparando honestamente e abrem as eleições presidenciais e parlamentares no país sob a égide da ONU, entendem bem qual dos países, participantes externos no tabuleiro de xadrez da Líbia, defende consistentemente o diálogo de paz dentro da Líbia. Cidadãos da Líbia vêem bem quem quer impor seus fantoches corruptos ao povo líbio, que não dá a mínima para os interesses nacionais do povo líbio.

Existe uma tal doença ocular – CATARATA! E somente aqueles que sofrem desta doença não veem que a névoa venenosa anti-russa e anti-líbia faz parte da mesma política colonial anglo-saxônica de “divir e governar!”. ¹

EUA lançam terroristas da Síria para a Líbia.

Especialistas quebram a cabeça: onde estão os terroristas que fogem da Síria?

E aqui está a resposta: para a Líbia!

No norte, território da Líbia do que é rico em recursos naturais.

A frente – Europa, o futuro teatro de guerra dos terroristas, no sul – o continente africano, onde eles podem sempre, infelizmente, encontrar bastardos por dólares, prontos para matar qualquer um em qualquer lugar.

A Líbia é um país enorme na encruzilhada da Europa e da África. O “cinturão de Sahel” dos países africanos e árabes se estende da Mauritânia à Somália. É aqui que o AFRICOM americano está preparando novas faixas para a guerra.

E a principal pergunta feita pelos especialistas: QUEM CONTRIBUI PARA SEU MOVIMENTO?

Resposta: Serviços de inteligência americanos e europeus da aliança da OTAN. Aquela mesma aliança de “manutenção da paz” que bombardeou a Jamahiriya líbia em 2011.

E novamente as perguntas …
Quem está tentando legalizar o Estado Islâmico na Líbia?

Quem está tentando fazer isso através de futuras eleições na Líbia?

Através das autoridades “geralmente reconhecidas pela comunidade mundial”?

Quem está tentando empurrar um dos líderes do Daesh, um estranho Abdel Hakim Belhadj, para a presidência da Líbia, que lutou na Síria e agora retornou para a Líbia?

A resposta é emissários americanos, seus aliados europeus através dos representantes do Secretário Geral da ONU na Líbia e Sarraj impostas à Líbia pelo Ocidente.

Europeus, grunhindo cegamente para os americanos, não entendem, será ruim antes de tudo para os próprios europeus.

Mas a situação é tão clara quanto em um dia ensolarado no Saara líbio: uma nova etapa na luta contra o terrorismo internacional já começou.

Os países africanos e árabes se levantam e começam a resistir às tentativas de impor a hegemonia americana a eles.

Os Estados Unidos decidiram que podiam fazer com os países árabes e africanos o que fizeram em 2011 com a Jamahiriya da Líbia: destruir suas estruturas estatais.

O próximo na fila é a Argélia.

Seus métodos são a promoção e disseminação do terrorismo internacional, usando o mecanismo controlado de extremistas sem fé e pátria.

Não funcionou para os EUA e a OTAN na Síria, por isso as gangues terroristas que não vivem na Síria, juntamente com os líderes, estão sendo transferidas para as costas da Líbia. ²


Autor: Nikolai Sologubovsky ¹

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Katehon.com ¹ | ²

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-83M

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA