Imperialismo versus Democracia e Liberdade. A lei de espionagem substituirá a Constituição dos EUA?


O interesse público e as economias políticas democráticas, tanto domésticas quanto internacionais, são venenosas para o Império. Mas isso deve ser escondido da vista, por isso a propaganda de guerra / notícias falsas é protegida pela legislação, enquanto o jornalismo real, protegido por evidências constitucionais, um fenômeno moribundo, continua a ser atacado.

A Primeira Emenda da Constituição dos EUA, adotada em 15 de dezembro de 1791,

    “Impede que o governo faça leis que respeitem o estabelecimento da religião, proíbam o livre exercício da religião ou reduzam a liberdade de expressão, a liberdade de imprensa, o direito de se reunir pacificamente ou o direito de petição ao governo por reparação queixas.”[1]

No entanto, a Constituição está sob constante ataque por classes dominantes oligarcas [2] dos EUA.

A liberdade de imprensa foi negada pela propriedade de monopólio da classe dominante e pela propaganda generalizada. A propaganda criminal é protegida enquanto as “liberdades de expressão” estão sob ataque constante.

A falsidade das notícias é protegida por leis (inconstitucionais) incorporadas na Lei de Autorização de Defesa Nacional que confundem as linhas entre realidade e espetáculo. Em um artigo anterior eu escrevi,

    De acordo com uma emenda à Lei de Autorização de Defesa Nacional de 2013 (NDAA), a Casa Bill H.R 5736 (agora lei), o governo federal dos Estados Unidos pode agora propagar legalmente o público interno.

    Indiscutivelmente, isso faz apresentações teatrais encenadas, apresentando atores de crise, e pretendendo ser “realidade”, legal.

    E, como se isso não bastasse, Don North escreve em “US / OTAN Embrace Psy-ops e Info-War” que,

    “Como refletido em uma recente conferência da OTAN na Letônia e no novo manual do Pentágono da Lei de Guerra, o governo dos EUA passou a ver o controle e manipulação da informação como uma arma de“ soft power ”, fundindo operações psicológicas, propaganda e assuntos públicos sob o slogan “comunicações estratégicas”. [3]

A Lei de Espionagem [4] também contradiz a Constituição dos EUA, mas está sendo invocada com relação à acusação contra Julian Assange.

A classificação onipresente de informações sob o manto da “Segurança Nacional” serve para sustentar a ilusão de que o Império atende ao interesse público. Portanto, como autor e veterano jornalista Naomi Wolf afirma, os denunciantes são necessários, assim como a transmissão de seus vazamentos. Isso, ela diz, tem sido prática de jornalismo há anos. É o que os jornalistas reais devem fazer.

O Daniel Ellsbergs e Chelsea Mannings do mundo são necessários – Ellsberg é agora considerado um herói. Os Assange do mundo que transmitem a verdade também são necessários.

Se a Lei de Espionagem, o NDAA e outras legislações substituíssem completamente a Constituição dos EUA e sua Primeira Emenda, então a perspectiva de jornalismo real seria finalmente extinta. E as classes dominantes fingindo preocupação pelo interesse público ficariam encantadas.

No vídeo a seguir, Wolf nos leva através da acusação contra Assange e demonstra a escassez de provas contra ele nos esforços em curso do governo para enquadrá-lo e destruir o mensageiro, com vista a proteger os criminosos de guerra internacionais Supremo atualmente orientando o naufrágio imperial neo-con.


Notas:

[1] Wikipedia, “First Amendment to the United States Constitution.” (https://en.wikipedia.org/wiki/First_Amendment_to_the_United_States_Constitution) Accessed 18 April, 2019.

[2] Daniel Kreps, “Jimmy Carter: U.S. Is an ‘Oligarchy With Unlimited Political Bribery.’ “ (https://www.rollingstone.com/politics/politics-news/jimmy-carter-u-s-is-an-oligarchy-with-unlimited-political-bribery-63262/) Accessed 18 April, 2019.

[3] Mark Taliano, “Fake threats and engineered fears.” 16 July, 2016. (https://ahtribune.com/politics/1073-engineered-fears.html?fbclid=IwAR0qHlFivL8c1QIqMxZsiQO43qYN0R-ITQCPa9jUXAWjU9v8_LjzMFiGlJE) Accessed 18 April, 2019.

[4] Cornell Law School, Legal Information Institute, “18 U.S. Code CHAPTER 37—ESPIONAGE AND CENSORSHIP.” (https://www.law.cornell.edu/uscode/text/18/part-I/chapter-37) Accessed 18 April, 2019.

[5] “In The United States District Court for the Eastern District of Virginia, United States of America v. Julian Paul Assange.” 6 March, 2018. (https://www.justice.gov/usao-edva/press-release/file/1153481/download) Accessed 18 April, 2019.

Autor: Mark Taliano

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Global Research.ca

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-8oB

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA