Arquivo da categoria: Olimpíadas

Uma mulher que vale ouro, Larissa Latynina: Atleta feminina com mais medalhas de ouro em olimpíadas de todos os tempos.


Por 48 anos, Larissa Latynina deteve o recorde de mais medalhas olímpicas conquistadas do que qualquer um na história, masculino ou feminino, em qualquer esporte.

Larisa Latynina – Ginasta soviética nos dias de hoje.

Seu recorde de dezoito medalhas olímpicas foi de 1964 até os Jogos de Londres 2012.

Ela ganhou seis medalhas em cada um dos três Jogos Olímpicos consecutivos, começando com Melbourne em 1956, continuando em Roma em 1960 e terminando em Tóquio em 1964.

Larissa Latynina foi uma ginasta soviética, que dominou a ginástica feminina, colecionando um recorde de 18 medalhas olímpicas entre 1956 e 1964.

Latynina, possui a distinção de ter sido a primeira atleta a ter conquistado o maior número de medalhas que qualquer atleta na história olímpica, masculino ou feminino.

Ela foi a primeira atleta a ganhar nove medalhas de ouro olímpicas e foi responsável por estabelecer a União Soviética como a força dominante na ginástica.

Ela também deteve o recorde de medalhas individuais (14 fora dos eventos da equipe) na história olímpica.

Larisa Latynina nasceu em 1934 em Kherson, na união Soviética, hoje Ucrânia. Ela praticou balé pela primeira vez, mas voltou-se para a ginástica quando o estúdio de coreografia havia fechado. Continuou sua formação enquanto estudava no Instituto Politécnico de Kiev e foi treinada por Alexander Mishakov.

Aos 19 anos, estreou internacionalmente no Campeonato Mundial de Roma de 1954, conquistando a medalha de ouro na competição por equipes.

Dois anos depois, Larissa ganhou a medalha de ouro geral nas Olimpíadas de Melbourne e se tornou a ginasta mais bem-sucedida das Olimpíadas.

Depois de um campeonato mundial de muito sucesso em 1958 (conquistando cinco dos seis títulos apesar de competir durante a gravidez), Latynina foi a favorita para os Jogos Olímpicos de Verão de 1960 em Roma.

No evento geral, ela levou a União Soviética a ocupar os quatro primeiros lugares, garantindo, assim, uma vitória na competição por equipes por uma margem de nove pontos.

Latynina também defendeu com sucesso o título, conquistou medalhas de prata na trave de equilíbrio e eventos de barras irregulares,e bronze na competição de salto.

Nos anos seguintes, Latynuna ganhou medalhas em todos os eventos em que competiu, exceto na trave de equilíbrio de 1956, onde ficou em quarto lugar.

Antes de Michael Phelps chegar ao topo, Larisa Latynina foi a atleta olímpica mais condecorada de todos os tempos, acumulando incríveis 18 medalhas olímpicas.

Suas nove medalhas de ouro são a segunda na lista da maioria dos medalhistas olímpicos, juntamente com Mark Spitz, Carl Lewis, Paavo Nurmi, atrás apenas de Michael Phelps, que tem 14; ela teve a distinção de ter mais medalhas de ouro olímpicas (individualmente ou em equipe) do que ninguém, de 1964 a 2008, até Michael Phelps bater seu recorde.

Latynina se aposentou após o Campeonato Mundial de 1966 e se tornou treinadora da equipe nacional de ginástica soviética,cargo que ocupou até 1977.

Ela organizou a competição de ginástica nos Jogos Olímpicos de 1980 em Moscou.

Ela é cidadã da Rússia e vive em sua propriedade perto da cidade Semenovskoye, região de Moscou.

Latynina foi incluída no Hall da Fama do Esporte Internacional da Mulher em 1985.

Sua História

Até o recorde de 2012 do nadador americano Michael Phelps – 22 medalhas, Larisa tinha a maior coleção de medalhas olímpicas da história do esporte – 9 medalhas de ouro, 5 de prata e 4 de bronze. Latynina também é conhecida pelo fato de que no Campeonato Europeu de 1957 ela ganhou todas as medalhas de ouro.

Depois que sua carreira competitiva terminou, Larisa começou a treinar a equipe feminina soviética, levando-as a ganhar medalhas de ouro em três Jogos Olímpicos separados.

Ela nasceu como Larisa Semyonovna Diriy na Ucrânia soviética. [1] Seu pai, Semyon Andreyevich Diriy, deixou a família aos 11 meses de idade e foi criada por sua mãe analfabeta, que trabalhava como faxineira durante o dia e como vigia durante a noite. Seu pai foi morto na Batalha de Stalingrado, onde serviu como operador de metralhadora. [3] Ela praticou balé pela primeira vez, mas voltou-se para a ginástica depois que seu coreógrafo se mudou de Kherson. Ela se formou no colegial em 1953 e mudou-se para Kiev. Frequentou o Instituto Politécnico de Lenin e continuou seu treinamento na Sociedade Esportiva Voluntária de Burevestnik.

Larisa Semyonovna Diriy nasceu em 27 de dezembro de 1934 em Kherson, SSR ucraniano (Ucrânia soviética), URSS. O pai Diriy Semyon Andreyevich Diriy (1906-1943) Seu pai foi morto na Batalha de Stalingrado, onde serviu como operador de metralhadora. Com 11 meses de idade foi criada por sua mãe analfabeta, Barabanyuk Pelagia Anisimovna (1902-1975) que trabalhava como faxineira durante o dia e como vigia durante a noite.

Larisa se desenvolve na ginástica.

Desde a infância, Larisa sonhava com balé. Ela praticou balé pela primeira vez, mas voltou-se para a ginástica depois que seu coreógrafo se mudou de Kherson e o estúdio foi fechado. Ingressou no estúdio coreográfico da Casa de Arte Folclórica. Em 1950, tornou-se membra da equipe nacional da Ucrânia no Campeonato de Kazan. Ela se formou no colegial em 1953 e mudou-se para Kiev. Ainda em 1953, Larisa entrou no Instituto Politécnico de Kiev. Frequentou o Instituto Politécnico de Lenin e continuou seu treinamento na Sociedade Esportiva Voluntária de Burevestnik. Aos 19 anos, estreou internacionalmente no Campeonato Mundial de Roma de 1954, conquistando a medalha de ouro na competição por equipes.

A garota se apresentou com sucesso no Festival Mundial de Jovens e Estudantes em Bucareste, onde recebeu sua primeira medalha de ouro. Logo ela foi transferida para o Instituto de Cultura Física.

Em 1954, a equipe nacional da URSS conquistou o primeiro lugar no campeonato mundial e Larisa conquistou a primeira medalha de ouro de campeã mundial.

Além disso, ela foi campeã olímpica absoluta em 1956 e 1960. Em 1958 e 1962, Larisa tornou-se campeã mundial absoluta e campeã mundial na competição por equipes em 1954, 1958, 1962; o campeão absoluto da Europa em 1957, 1961.

Em 1968, 1972, 1976 Latynina foi treinadora da equipe olímpica da URSS. Ela fez parte como membro do comitê organizador na Olimpíada de 1980.

Além disso, Larisa é autora dos livros: Balance (1975) e Ginástica ao longo dos anos (1977) e alguns outros.

Latynina recebeu inúmeras ordens, incluindo a Ordem de Lenin (1957), a Ordem da Amizade dos Povos (1980), Distintivo de Honra (1960, 1965, 1972), a Ordem de Serviços à Pátria (2015, 2010, 2004) , a Ordem de Honra (1999), a Ordem da Princesa Olga (2002), a Ordem Olímpica de prata.

Em 2000, na bola olímpica, Latynina foi incluída entre os dez melhores atletas da Rússia do século XX. No outono de 2004, em Obninsk, Larisa Semenovna abriu uma escola de ginástica.

Em 2012, Latynina e Michael Phelps se tornaram os rostos da marca Louis Vuitton.

Latynina e Michael Phelps.

Vida pessoal

Ivan Ilyich Latynin foi seu primeiro marido. A filha deles, Tatiana Latynina, nasceu em 1958. A propósito, Larissa se apresentou no campeonato mundial, no quinto mês de gravidez, e ninguém sabia disso.

Eles têm dois netos – Konstantin (nascido em 1981) e Vadim (nascido em 1994).

Infelizmente, o filho de Larisa, Andrei, morreu.

Para dizer a verdade, o nome do segundo marido da ginasta não é mencionado nas memórias nem em nenhuma das entrevistas. Sabe-se apenas que eles viveram juntos por dez anos.

Doutor em ciências técnicas, professor, acadêmico da Rússia e da Academia Internacional de Ciências em Engenharia Elétrica, Yuri Izrailevich Feldman se tornou seu terceiro marido.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: russianwomen | beautifulrus

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
https://wp.me/p26CfT-9Hn

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA