Brasil e Irã vão expandir suas relações estratégicas.


Irã concede ao Brasil a máxima prioridade em sua política exterior, assegurou o ministro de Exteriores iraniano, Mohammade Yavade Zarif, ao receber o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior brasileiro, Armando Monteiro.

Zarif destacou que o Brasil desempenha um rol relevante na América Latina e destacou seu status entre os países do grupo BRICS, que formam também, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Ambos os funcionários discutiram em Teerã pontos de vista sobre a expansão dos vínculos e a cooperação entre seus países, e Zarif apontou que os vínculos registraram maiores progressos depois da visita que fez a Brasília o ministro iraniano do Comércio.

Segundo o chanceler, a República Islâmica possui novas e numerosas instalações para ampliar a cooperação com o gigante sulamericano, o que pode ajudar a conseguir acesso a um mercado de 350 milhões de pessoas, como é o da região da Ásia Central.

Zarif citou que companhias e institutos financeiros iranianos e brasileiros também podem desempenhar um papel de liderança para estreitar laços e a cooperação em campos como tecnologia, biotecnologia, energia, gás e outros.

Monteiro definiou à República Islâmica como herdeira de uma grande civilização persa que é de alta importancia para Brasil, e defendeu a expansão das relações e a cooperação, tal como propuseram os presidentes Hassan Rohani e Dilma Rousseff durante uma recente reunião na ONU.

Durante aquele encontro, Rousseff disse que o Irã mantêm um papel de liderança no estabelecimento da estabilidade no Oriente Médio.

Ela chamou alertou que debilitar o governo sírio levaria à expansão do terrorismo.

Rousseff também afirmou que Irã e Brasil mantêm pontos de vista similares em muitos temas internacionais e expressou a disposição de seu país a expandir o comércio e as relações econômicas com Teerã.

Para o Brasil, a expansão de relações com o Irã forma parte da aposta em prol de uma posição política e econômica independente no mundo, que já ficou evidente ao unir-se ao BRICS.

O titular brasileiro legou na segunda-feira a Teerã a frente de uma delegação econômica de 35 empresários para explorar as opções de negócios, considerando que a nação sulamericana é um dos principais parceiros comerciais do Irã na América Latina.

De acordo com cifras oficiais, o volume do intercambio comercial entre os dois países superou os 1.4 bilhões de dólares por ano.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Almanar