EUA procuram dramáticamente aumentar o envolvimento na Líbia e estabelecer uma base militar permanente ali.


Funcionários dos EUA familiarizados com a situação dizem que a Administração Trump provavelmente anunciará uma “aceleração” dramática do envolvimento dos EUA na Líbia, nomeando um novo embaixador dos EUA e estabelecendo uma presença militar permanente dos EUA no país.

Enquanto a operação militar aparece principalmente com o objetivo de apoiar o “governo de unidade” em Trípoli, os funcionários sugerem que também pode ver algumas tropas dos EUA desdobradas em Benghazi, devastado pela guerra, atualmente sob o controle de uma facção rival, com o objetivo de unir o país sob um governo de unidade.

O presidente Obama decidiu apoiar o governo de unidade durante a ofensiva de Sirte, enviando tropas dos EUA para lutar contra forças do Estado Islâmico lá, com a expectativa de que a vitória do governo de unidade lhes daria uma enorme vantagem sobre os governos rivais. Isso não aconteceu, no entanto, com o leste da Líbia dominado principalmente pelo parlamento de Tobruk e pela LNA, e o governo de unidade lutando com o parlamento de Trípoli sobre a capital.

As autoridades dos EUA dizem que a administração está feliz com o aumento do envolvimento na Somália, e está procurando replicar essa escalada súbita na Líbia, tentando esculpir.

Mais sobre a guerra da OTAN na Líbia.


Autor: Jason Ditz

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Global Research.ca

Quer compartilhar com um amigo? Copie e cole link da página no whattsapp
http://wp.me/p26CfT-5×7

VISITE A PÁGINA INICIAL | VOLTAR AO TOPO DA PÁGINA