Economistas afirmam: o mundo está a beira do pior colapso da história.


Veja também: Wall Street e a Crise Financeira: Anatomia do Colapso Financeiro” Culpa Bancos, Moodys, Standard Poors, Goldman Sachs, Deutsche Bank

A negativa rentabilidade dos créditos da zona euro está provocando uma instabilidade macroeconômica que pode resultar no maior ‘default’ da historia, é o que asseguram especialistas financeiros.

“Mais de 30% do total dos créditos da Eurozona têm um tipo de interesse negativo, situação que gera uma carga adicional na macroeconomia e gera riscos para a estabilidade financeira (…) Desde o lançamento da política de flexibilização quantitativa por parte do Banco Central Europeu esta tendência tem tomado forma de avalanche”, afirma o editor associado do diário ‘The Telegraph’ Jeremy Warner no seu artigo.

Segundo Warner, estas alarmantes tendências não se haviam observado nunca antes. Além disso o especialista dá sinais de que na economia mundial o crescimento da demanda é cada vez mais dependente do crescimento da dívida pública. “Só no G-7 o volume da dívida pública é equivalente a 120% do PIB total. Enquanto que a dívida global do setor privado tem crescido uns 30%”.

Segundo ‘The Telegraph’, os bancos centrais dos EUA, Reino Unido, Japão e União Europeia, um após outro, começaram a imprimir dinheiro para combater as tendências negativas. Mas estas medidas só serviriam para reduzir a estabilidade financeira macroeconomica no conjunto, finaliza Warner.

2015, seria o ano do desastre econômico e o início de uma grande recessão mundial?

Nos últimos anos as bolhas financeiras globais tem se inflado cada vez mais e poderão estalar em qualquer momento, o que pode ter um impacto negativo já em 2015.

Os mercados financeiros estão melhor preparados para um possível colapso econômico que há sete anos atrás. Mesmo assim, estamos diante de uma desaceleração econômica mundial e 11 destacados especialistas tem soado o alarme de um desastre econômico neste 2015, informa o blog de Michael Snyder ‘The Economic Collapse‘.

1. Bill Fleckenstein. “Estão tratando de fazer que o mercado de valores suba e arraste consigo a economia. Não vai funcionar. Ocorrerá um grande acidente. Tudo é uma farsa, o dólar cairá, o mercado de valores cairá e espero que os mercados de créditos também”, predisse o presidente e fundador de Fleckenstein Capital, empresa de gestão de dinheiro com sede em Seattle.

2. John Ficenec. “Se observamos com atenção a evolução histórica do índice CAPE para S&P 500 da Bolsa de Nova Iorque, vemos que o nível se encontra atualmente em 27,2, ou seja, 64% mais alto que sua média histórica de 16,6. Poderíamos concluir que o mercado de valores dos EUA está sobrevalorizado”, disse o periodista do diário britânico ‘The Telegraph’.

3. Ambrose Evans-Pritchard. “Para fevereiro a eurozona estará em deflação (…) As taxas reais de interesse crescerão. A carga da dívida seguirá aumentando a um ritmo mais rápido que o PIB nominal nos países europeus do Mediterrâneo. A região se fundirá ainda más na trampa dos interesses compostos”, previu um dos periodistas econômicos mais respeitados no mundo.

4. Paul Craig Roberts. “a qualquer momento o castelo ocidental de cartas colapsará. Isto (o sistema financeiro) é um castelo de cartas. Não há fundamentos econômicos que respaldem os preços das ações do Dow Jones. Não há fundamentos econômicos que apoiem o dólar forte”, disse o ex-subsecretário do Tesouro dos EUA.

5. David Tice. “Tenho o mesmo tipo de sensação que em 1998 e 1999; e também em 2005 e 2006. Este vai terminar mal. Tenho toda a confiança do mundo”, advertiu o presidente de Tice Capital e conhecido investidor de Wall Street.

6. Liz Capo McCormick e Susanne Walker: “Prepárem-se para um ano desastroso para os créditos do Tesouro de EUA. Esses são os prognósticos que estão enviando em suas mensagens em Wall Street”, afirmaram especialistas da Bloomberg.

7. Phoenix Capital Research. “A maior parte da ‘recuperação’ dos últimos cinco anos tem sido impulsionada pelos dólares baratos emprestados. Agora se verão cada vez mais ‘ativos de risco’ explodindo. O petróleo é só o princípio, não é uma história independente”, indicou a organização norte-americana.

8. Jerome Levy Forecasting Center. “É evidente que a direção que tomam a maior parte das notícias recentes relacionadas com a economia mundial nos levam a uma recessão em 2015”, segundo a companhia de análises econômicas que previu o estouro da bolha das hipotecas de 2007.

9. John Ing. “A crise de 2008 foi só um ensaio geral em comparação com o que o mundo vai enfrentar nesta ocasião”, disse o presidente de Maison Placements Canada Inc.

10. Gerald Celente. “O que significa a palavra confiança? Esqueça. Neste caso a confiança = vigaristas e jogos de vigaristas. Isso é tudo o que é. Assim que as pessoas perderem a confiança nos vigaristas porque já tem mostrado suas cartas. É um esquema Ponzi. A fraude está por terminar e aqueles por trás disso não têm mais cartas para jogar”, previu o reconhecido investigador de tendências.

11. Rob Kirby. “O colapso do preço do petróleo vai gerar uma nova crise financeira. Está vinculado à dívida lixo que se tem emitido para financiar os jogos do petróleo de xisto na América do Norte. As elites financeiras estão desenhando a desculpa para sua próxima rodada de impressão de bilhetes e tratar de resgatar dos bancos”, disse o especialista financeiro de Kirby Analytics.

O que eles vão fazer? Eles não podem elevar os juros. Vimos o que aconteceu no início de dezembro, quando os mercados de ações começaram a desemaranhar-se. Por isso, será uma perda de confiança no jogo e com o jogo logo chegando ao fim. É quando você está prestes a ver o pânico em Wall Street e em todo o mundo.”

Se você estiver seguindo o meu site, você sabe que eu tenho vindo a apontar para 2015 por algum tempo agora.

Por exemplo, no meu artigo intitulado “o Ciclo de Sete Anos de Choques Econômicos sobre os Quais Todo o Mundo Está Falando“, discuti o modelo de choques financeiros que testemunhamos cada sete anos que ocorreu o tempo todo retrocedendo desde até a Grande Depressão. As últimos dois principais choques do mercado de ações começou em 2001 e 2008, e agora aqui estamos sete anos depois.

Será que o mesmo padrão vai realizar-se uma vez mais?

Além disso, há muitos outros ciclos econômicos que parecem indicar que estamos submetidos a um declínio econômico principal. Discuti várias dessas teorias no meu artigo intitulado “Se Teóricos do ciclo econômico estiverem corretos, de 2015 a 2020 será um verdadeiro inferno para os Estados Unidos”.

Mas, tal como em 2000 e 2007, há toda uma série de céticos que estão totalmente convencidos de que a festa pode continuar indefinidamente. Mesmo que nossos fundamentos econômicos continuem a piorar, os nossos níveis de dívida continuem a crescer e cada medida objetiva mostre que Wall Street é mais imprudente e mais vulnerável ao colapso do que nunca, eles zombam da idéia de que um colapso financeiro é iminente.

Então, vamos ver o que acontece em 2015.

Tenho a sensação de que ele vai ser um ano extremamente “interessante”.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Notas:

O mercado de bonos (também mercado de dívidas ou mercado de crédito) é um mercado financeiro onde os participantes podem emitir a nova dívida, conhecida como o mercado primário, ou comprar e vender seguranças de dívidas, conhecidas como o mercado secundário. Isto é normalmente na forma de obrigações, mas ele pode incluir notas, contas, e assim por diante.

Fonte: http://theeconomiccollapseblog.com/archives/11-predictions-economic-disaster-2015-top-experts-globe